quinta-feira, 30 de junho de 2016

Aconteceu em Hyère - O Encontro Internacional da Imagem Submarina.

Hyère é mais uma dessas maravilhas francesas, onde flui muita energia
ligada, principalmente, ao mar!
Nos dias 10, 11 e 12 de junho de 2016, quem porventura, passasse pela cidade Hayère, acerca de Toulon, França, certamente iria se surpreender com um dos mais importantes eventos ligados ao mar, atualmente. O "Festival de Imagens Submarina de Hyères" reuniu uma verdadeira constelação de pessoas ligadas ao trabalho com o Mar. 
Um poeta distraído, como eu, poderia, numa epifania, visualizar, em algum lugar do mediterrâneo, o barco Jiliat, da monumental obra do mestre da literatura francesa, o inesquecível Victor Hugo e seu imortal romance, "Os Trabalhadores do Mar". Dito, isso, e viajando na imaginação deste brasileiro apaixonado por literatura francesa, volto para o assunto principal, senão meu patrão, vai pronunciar a famosa frase em português "não viaje na maionese". Pronto, com este preâmbulo, previsto no contrato de trabalho deste blog, volto ao assunto imediatamente.
O Festival da Imagem Submarina é uma tradição em terras francesas, inclusive, em 2013, tivemos uma versão deste festival no Brasil, trazido por Pierre Passot, para a UFPR (Universidade Federal do Paraná) na unidade de Matinhos, onde se encontra O CEM - Centro de Estudos do Mar, que possui o curso de oceanografia e outros assuntos ligados ao mar. Foi por volta deste período que Pierre Passot, começou a vir com mais frequência ao Brasil, criando uma verdadeira conexão entre o atlântico e o mediterrâneo. Na terra-brasílis, Pierre tem se esforçado para acordar nosso "gigante adormecido", digo, o Brasil, para a descoberta de seu próprio mar, a conscientização da importância do ambiente marinho. O Brasil, ainda não conhece e não investiu de forma sustentável na exploração e educação para o mar, por outro lado, ganhou um forte aliado interno, a figura de Passot, traz uma reflexão mais profunda sobre a importância de acordar uma nação com a ajuda de outra.
Gerações que fizeram do mar, sua missão de vida, da esquerda para a direita
temos: Rodrigo Melo, Rodolfo Silot, Pierre Passot,
Jean de Saint Victor de Saint Blancard,
Eric Moriceau e Christian Petron.
Como eu disse antes, uma constelação de "Trabalhadores do Mar" estiveram neste importante encontro de Hyères, destaque para os brasileiros Rodrigo Melo, e Rodolfo Silot, representantes da equipe que participou do filme premiado "Resgate Vital", na categoria "tesouros",  que conta a história esquecida do ataque e destruição do navio brasileiro Vital de Oliveira, 69 anos depois, reencontrado e revelado, através de depoimentos, como foi que a tragédia se sucedeu e como o Brasil lidou com esta realidade beligerante em suas próprias águas. O encontro, que envolveu pessoas de diversos lugares, contemplou, também, os cinegrafistas brasileiros, convidados com muito carinho, para participar deste importante evento. Não há dúvida de que a França sediou mais um capítulo da história da Imagem Submarina, motivo pelo qual, aquele país se destaca por levar a sério e incentivar outras nações a prestarem mais atenção no que acontece no mundo aquático.

Conheça mais sobre a redescoberta do navio auxiliar brasileiro "Vital de Oliveira", atingido pelo U - Boat 861, da marinha alemã, durante a segunda guerra mundial. Para conhecer melhor, este magnífico projeto CLIQUE AQUI.


Jiddu Saldanha - Blogueiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário